Cadastre-se para receber novidades
Notícias » Notícias » Notícias » Notícias » Papa institui "Conselho de car...
A↑AA↓

Papa institui "Conselho de cardeais": uma nova modalidade de consulta, diz Pe. Lombardi

Por: Família Missionária

O Papa Francisco instituiu nesta segunda-feira, com um Quirógrafo, o "Conselho de cardeais", grupo composto por oito purpurados cujos nomes foram publicados em 13 de abril passado, que terão a missão de coadjuvar o Papa no governo da Igreja e no projeto de reforma da Cúria Romana.

Nesta terça-feira, 1º de outubro, tem lugar a primeira reunião do Conselho com a presença do Santo Padre. As sessões de trabalho prosseguirão até quinta-feira, dia 3. Sobre a importância dessa reunião, o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, concedeu uma coletiva na manhã desta segunda-feira.

Pe. Lombardi iniciou lendo o Quirógrafo com o qual o Pontífice especificou o papel e as funções dos 8 cardeais. Em primeiro lugar, o grupo se chamará Conselho e ressalta-se que é fruto das sugestões apresentadas nas Congregações Gerais antes do último Conclave.

Com o documento estabelece-se formalmente que o Conselho de cardeais ajudará o Papa "no governo da Igreja" e "no estudo de um projeto de revisão da Constituição apostólica Pastor Bonus sobre a Cúria Romana".

Pe. Lombardi deteve-se sobre o novo método de governo querido pelo Papa Francisco:

"Um modo com o qual talvez se possa definir esse Conselho é 'um ulterior instrumento que enriquece o governo da Igreja com uma nova modalidade de consulta': portanto, um enriquecimento dos instrumentos já disponíveis ao Santo Padre para o governo da Igreja mediante a consulta, a ajuda que se pode ter consultando."

O quirógrafo evidencia que o Conselho pode ser alterado em seu número de componentes, quer ser uma ulterior expressão da comunhão episcopal e do auxílio ao munus petrinum, ao governo do Sucessor de Pedro. O porta-voz vaticano especificou quais são as duas palavras-chave para enquadrar essa passagem do quirógrafo:

"As palavras-chave para pensar nesse método de governo que o Papa está configurando creio que sejam o caráter sinodal, a idéia do caminhar juntos: uma Igreja que caminha junto em seus diversos componentes e o Papa se coloca em caminho com essa Igreja; e o discernimento, que é a busca da vontade de Deus mediante uma consulta freqüente e paciente."

Em seguida, o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé afirmou que os 8 cardeais, que nestes dias chegaram a Roma, já se reuniram informalmente antes do encontro desta terça-feira com o Papa.

O Conselho de cardeais preparou-se colhendo sugestões e propostas em suas áreas geográficas. Ademais, foram enviados ao Papa documentos de vários dicastérios e da Secretaria de Estado.

Ao todo, disse Pe. Lombardi, trata-se de cerca de oitenta documentos, dos quais o secretário do Conselho, Dom Marcello Semeraro, preparou um síntese. Os trabalhos se realizarão na Biblioteca privada do apartamento papal.

Os cardeais, que neste período estarão hospedados na Casa Santa Marta, se reunirão pela manhã e pela tarde e o Papa estará sempre presente, exceto na quarta-feira pela manhã por causa da audiência geral.

Pe. Lombardi deteve-se sobre como o Papa participará das sessões de trabalhos:

"O Papa prevê fazer uma introdução muito breve e ouvir. Substancialmente, a presença do Papa é uma presença de escuta desses conselheiros que terão muito a trazer com as suas considerações, dado que o material é muito abundante."

Respondendo às perguntas dos jornalistas, o sacerdote jesuíta quis especificar que com esse Conselho o Papa Francisco não introduz um governo colegial:

"O Papa não está de modo algum condicionado. Para dizer que é um governo colegial precisaria dizer que o Papa 'deve' consultá-lo, 'deve' reuni-lo sobre determinados temas, 'deve'... Não se trata disso: trata-se de um Conselho ao qual pode ser pedido que dê o seu parecer."

Por fim, o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé reiterou que se trata do primeiro encontro do Papa com os cardeais e que, portanto, não se deve esperar decisões relevantes. Aliás, especificou, não serão publicados documentos de trabalho nem está previsto nenhum comunicado final. (RL)

Fonte: Rádio Vaticano

 

voltar

© Todos direitos reservados - Familia Missionária. design by ideia on