Cadastre-se para receber novidades
Artigos » Eventos » Eventos Sub » Artigos » A verdadeira doação -Cônego Ce...
A↑AA↓

A verdadeira doação -Cônego Celso Pedro da Silva

Por: Família Missionária

Conhecemos muita gente boa, humilde, de coração simples, capaz de partilhar o pouco que tem com quem tem ainda menos. A viúva de Jerusalém colocou duas moedinhas no cofre das ofertas. A viúva de Sarepta dividiu com o profeta Elias o último pãozinho que conseguiu fazer com o pouco de farinha que lhe restava. Jesus, porém, que sabia das coisas, disse certa vez aos seus discípulos. “Estou enviando vocês como ovelhas no meio de lobos. Sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mt 10,16).As pobres viúvas são generosas, mas precisam também ser espertas para não se deixarem enganar.“Tomem cuidado com aqueles que devoram as casas das viúvas, fingindo ser piedosos”, disse Jesus. Há quem tire proveito da bondade e da generosidade dos outros.

Há gente boa e há gente sem caráter! A verdadeira doação é feita sem interesses e com alegria. É verdade que “é dando que se recebe”, como também é verdade que quem dá de graça não dá com o interesse de receber em troca. Por isso Jesus ensinou que é importante dar para quem não pode retribuir, porque assim a nossa doação é generosa e gratuita. O ganancioso explorador da viúva receberá a pior condenação, diz o Evangelho. No entanto, a viúva também pode ser gananciosa porque dá interessada em receber, e assim se deixa facilmente enganar. Cuidado com o admirável comércio religioso, cuidado com as pregações que são lavagem cerebral, cuidado com quem o envolve com sugestões fortes com o fim de obter lucros financeiros. A minha ganância me leva a procurar Deus, os santos, o padre, o pastor, porque quero conseguir alguma coisa, sobretudo quero sair da miséria e da pobreza e melhorar de vida. É neste caso que as duas moedinhas da viúva deixam de ser. De sua parte, um ato gratuito, e da parte do outro se torna um ato de exploração: “Não se preocupe se são as duas últimas moedinhas. Você vai receber muito mais!”.

Por que eu me deixo enganar? Será que gosto de ser tapeado?É a precisão, é a necessidade?Há aí certamente uma ideia errada da religião. Minha relação com Deus não é comercial. Deus não nos substitui nas tarefas da vida. Seria mais simples e prudente, mais humano e muito mais religioso, juntar as mãos e ser solidários na justiça e na verdade. Na Igreja de Jesus Cristo, o dinheiro só se justifica quando é partilhado para que não haja necessitados entre nós. O grande e único ato religioso foi feito uma vez por todas quando Jesus entregou a sua vida para tirar o pecado do mundo. A mesa da última ceia e a cruz formam o altar do sacrifício de Jesus. Já não precisamos entrar no santuário e repetir as doações. A doação feita de forma gratuita e desinteressada, tanto por aquele que dá como por aquele que recebe, se torna oferta sacrifical como a de Jesus. Somente assim as moedinhas se multiplicam de forma honesta e a farinha já não termina na vasilha da viúva. O Senhor abre os olhos aos cegos, o Senhor ama aquele que é justo. O justo não explora e o que vê não se deixa enganar. Que o Senhor nos torne inteiramente disponíveis ao seu serviço e afaste de nosso caminho todo obstáculo que nos impede de viver a “verdadeira religião”, que se expressa no amor mútuo honesto e sincero.

voltar

© Todos direitos reservados - Familia Missionária. design by ideia on