Cadastre-se para receber novidades
Artigos » Eventos » Eventos Sub » Artigos » Batismo do Senho - Pe. Luiz Ca...
A↑AA↓

Batismo do Senho - Pe. Luiz Carlos de Oliveira

Por: Família Missionária

Continuamos o tempo da Manifestação do Senhor como no Natal. Neste contexto, rezamos: “Recebei, ó Pai, as oferendas no dia em que revelastes vosso Filho” (o.oferendas). Jesus se manifesta aos judeus como Filho: “Enquanto rezava, o céu se abriu e o Espírito desceu sobre Jesus em forma visível, como pomba. E do céu veio uma voz: ‘Tu és o meu Filho amado, em Ti ponho o meu bem querer’” (Lc 3,21-22). É a revelação da Trindade. O Pai revela a condição divina de Jesus. Após o rito das águas é manifestado pelo Pai como o Filho. Revela também o Espírito que vai estar com Jesus em sua missão. No evangelho de Lucas lemos que Jesus era conduzido pelo Espírito. O batismo é o momento em que Cristo abre os rios da graça. O povo atravessara o Jordão para entrar na terra prometida. As águas se abriram e o povo atravessou. Jesus atravessa o Jordão e abre ao povo o Reino onde os rios de Água Viva que jorram do Espírito. Foi ao Jordão para ser batizado por João. Não é o nosso batismo, pois João dá um batismo simbólico de conversão em preparação para a vinda do Messias: “Eu vos batizo com água... Ele vos batizará no Espírito e no fogo” (Lc 3,16). Não será mais um rito exterior, mas a purificação do Espírito com o fogo. Ao receber o batismo de João, Ele é um homem do povo que, neste rito, assume a esperança e o pecado do povo. Recebeu do Pai o Espírito não para a purificação, que não era o caso, mas como unção para a missão de anunciar a vontade do Pai, pois n’Ele o Pai colocou todo o seu “bem querer” (22). O amor de Cristo pelo Pai está em fazer sua vontade. O amor de Jesus pelo Pai se manifesta em comunicar ao povo e aos povos a vontade do Pai que é que todos sejam salvos (1Ts 5,9) e participem de sua vida (Jo 10,10).
 
O céu continua aberto de onde virá para nos levar com Ele (1Ts 4,17). A pomba é sinal da shekiná (tenda), morada, a presença de Deus. Simbolizando o Espírito, lembra a pomba que Noé soltou da arca e, voltando, trouxe o ramo de oliveira no bico, símbolo da paz. Esta paz que dá o Espírito é o Shalom de Deus, isto é, todos os bens advindos com o Messias. Jesus tem em si todo o bem Jesus é ungido para a missão de transformação e não dons pessoais para o próprio prazer espiritual. O batismo não é somente um rito tradicional. Ele nos abre ao Espírito e nos torna filhos amados para realizar uma missão, como a missão de Jesus. Ser batizado é viver sob o Espírito.
 
Pedro prega que “Jesus, foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda parte fazendo o bem e curando a todos” (At 10,38). Foi ungido como Messias para cumprir a missão de Servo. A palavra servo e filho são a mesma em grego (παßς – pronuncia país). Isto lembra o Servo de Javé em Isaias (Is 42,6-7): “Eu te formei como aliança do povo... para abrires os olhos dos cegos, tirares os cativos da prisão e livrares do cárcere os que vivem nas trevas”. Esta é a missão que Jesus assumiu (Lc. 4,18-19). Nós somos filhos de Deus e, chamados filhos de Deus, nós o sejamos de fato (O. pós comunhão). Recebemos a missão de Jesus que foi o amor em ação. Deus nos acolhe e não nos deixa: Deus não apaga o pavio que fumega, pois tem confiança que, com a força do Espírito, podemos realizar a missão que assumimos em nosso batismo.
 
Pe. Luiz Carlos de Oliveira


 

voltar

© Todos direitos reservados - Familia Missionária. design by ideia on