Cadastre-se para receber novidades
Artigos » Eventos » Eventos Sub » Artigos » Vigilância - Dom Paulo Mendes ...
A↑AA↓

Vigilância - Dom Paulo Mendes Peixoto

Por: Família Missionária

O tempo é uma dádiva do Criador. É o espaço que permite a realização de todos os atos possíveis pelas pessoas. A eficácia de tudo depende da maneira como é feito, do tipo de vigilância exercida, colocando em prática os dons de forma madura e responsável.
Vigiar é estar acordado, tomar conta de algo, não deixando que haja invasão e destruição. Para isto, quem vigia tem que ser sóbrio, preparado e bem intencionado. É ser pessoa de confiança, que faz tudo com dignidade e determinação.
A identidade de quem vigia passa pela transparência, que aproveita o tempo para fazer tudo conforme o que foi exigido. Não tanto pelo que faz, mas pela dignidade com que realiza as coisas na construção do bem. Está em jogo a credibilidade do vigia.
O bom vigia é aquele que recebeu determinados talentos ou bens, e trabalha, não só para conservá-los, mas negocia e faz o patrimônio crescer. Assim são os dons que Deus deu a cada pessoa, que devem ser colocados a serviço e o bem da comunidade.
Constitui-se perigo enterrar os dons, ter medo de perdê-los e cair na infertilidade. Pior ainda é aquele que rouba os dons, os talentos, o patrimônio recebido para ser vigiado. Como consequência, teremos o prejuízo e a injustiça. Alguém sofre com isto.
Enterrar os talentos significa ficar acomodado, pensar só em si mesmo e não ter a dimensão da missionariedade. É não ter preocupação com o outro, com os de direito, com os necessitados, é ser indiferente diante dos problemas.
Os talentos não podem ser colocados a serviço do acúmulo, nem para a prática da “esperteza” e atitudes egoístas. Com eles, encorajar e praticar ações de amor e justiça, superando sistemas de exclusão e de poder sem função social.
Felizes os servos que forem encontrados vigiando pelos seus patrões. Isto é sinal de trabalho, de paz e segurança. Comodismo e indiferentismo contradizem a fé cristã, porque os talentos recebidos de Deus não estão sendo colocados em benefício da construção do Reino da vida.
Dom Paulo Mendes Peixoto
Bispo de São José do Rio Preto.
 

voltar

© Todos direitos reservados - Familia Missionária. design by ideia on