Cadastre-se para receber novidades
Dinâmicas para grupo » 5 Sentidos » 5 Sentidos » 5 Sentidos » O sentido do Olfato - Rosabel ...
A↑AA↓

O sentido do Olfato - Rosabel De Chiaro e Sonia Biffi

Por: Família Missionária

Relembrando...  O sentido do Olfato

 O sentido do olfato nos abre um horizonte de possibilidades, mas também de realidades. Aromas agradáveis e desagradáveis nos acompanham ao longo de nossos dias: nos alimentos que comemos, nos lugares que percorremos, nas proximidades de uma padaria ou de um mercado de flores, odores doces, suaves, penetrantes, ácidos... Quase sem dar-nos conta vivemos em meio a um ambiente impregnado de diferentes aromas: desde aquele espalhado por um caminhão a diesel até o de uma tarde depois de um aguaceiro. Incêndios, comidas, parques... e até pessoas, espalham odores precisos, exatos. Pensemos no que eles despertam em nós.

O aroma agradável é convite ao prazer, ao deleite, parece nos propiciar só benefícios, encantar e conquistar. Na verdade, faz a diferença “saborearmos” um alimento, primeiro pelo olfato. Ele aguça nossos sentidos, mobiliza nossas intenções e desejos, provoca em nós respostas e atitudes. Mas, nem sempre um aroma agradável comporta realidades satisfatórias. Alguns dos odores que não apreciamos contribuem para nossa saúde, trazem bem estar e ajudam a sobrevivência. São necessários, valiosos, têm sua razão de ser.

Por isso, é preciso exercitar o sentido do olfato fazendo uso da mente, da razão e do coração. É preciso perceber que esse sentido, muitas vezes, nos faz apostar num invisível, num irreal, num futuro. É ele que nos possibilita experimentar sem provar, provar sem experimentar. Tal como os conhecedores de vinho identificam a safra de cada conteúdo, só pelo aroma exalado, também nós podemos caracterizar, personalizar momentos e situações, pessoas e acontecimentos pelo aroma que percebemos e “somos”.

 Também o ambiente de uma sociedade pode ser farejado. “Há algo de podre no reino da Dinamarca” chegou a dizer Shakespeare; “algo me cheira mal neste assunto” pode dizer um empresário. “Aqui se respira (se sente) um ambiente agradável” pode comentar alguém, em um lugar qualquer.

Você também percebe aromas diversos: de perfumes, sabonetes aromáticos, de toucinho frito, de azeite queimado, de um jardim, de suor humano em um ônibus sem ventilação. Estes são alguns dos odores que chegam ao seu nariz... Você se dá conta disso? E você, sua vida, seu corpo e seu espírito têm odores específicos? Você os sente? Mudam de aroma? Você os tem sentido? Quais os aromas que mais aprecia? E os de que menos gosta? (*)

“Tomando Maria, irmã de Marta, uma libra de bálsamo de nardo     puro ungiu os pés de Jesus e a casa encheu-se do perfume do bálsamo” Jo.12,3

           

(*) Inspirado em: MICHEL, G. Aprenda a ser você mesmo e OAKLANDER, V. Descobrindo Crianças.

 Técnica de Dinâmica: “O SENTIDO DO OLFATO”

 60 minutos – indicada para casais – apropriada também para ser aplicada em família, na família e para grupos de jovens. Adequá-la a cada realidade.

Objetivo: conscientizar e promover a descoberta da importância do sentido do olfato em nossa vida:

- experienciando e detectando a sensibilidade de cada um em relação ao seu olfato;

- ressaltando as diferenças pessoais e o respeito à sensibilidade olfativa de cada um.

Material: na mesa do círculo: objetos aromatizados numerados de 1 a 5, com aromas variados e um sem numeração. Ex.: velas, saches, frascos etc. Relação dos aromas só para o dirigente. Gabaritos, canetas/lápis para todos. 

Estratégia: colocar sobre a mesa, antecipadamente, os objetos aromatizados, os gabaritos e canetas/lápis.

Acomodar o grupo em círculo e convidá-lo a viver uma experiência.

 1- Orientar os participantes que os objetos sobre a mesa estão numerados e cada um deles possui um aroma específico;

 2- Pelo sentido do olfato, devem identificá-los e caracterizá-los, assinalando no gabarito disponível sobre a mesa suas descobertas. Por ex.: aroma de maçã (identidade); ácido, adocicado (característica). Cada um deve manter seu gabarito em mãos. Convidá-los a iniciar. Deixá-los à vontade, apenas controlar o tempo.

 3- Solicitar que retornem a seus lugares e prosseguir. Motivar para que se manifestem, sugerindo que um deles leia o próprio gabarito para comparar com os demais promovendo um clima de descontração. 

4- Ler o gabarito correto, comentando os eventuais acertos/erros de maneira agradável, sem cobranças. Ressaltar o aroma sem numeração que representa o aroma surpresa, estranho à nossa vida em comum. Como lidar com essa situação? E com o aroma desagradável: feijão queimado, roupa suja, banho vencido etc? Relacionar com o dia a dia do casal.

 5- Como se sentiram vivendo essa experiência. Lembrar do respeito àqueles que, por motivos justificáveis, não podem conviver com aromas que lhes provocam desconforto.

6- Concluir fazendo a leitura do texto que acompanha a dinâmica: “relembrando o sentido do olfato” ou solicitar que um voluntário o faça. Abrir para comentários e encerrar conforme desejar.

 Obs. Em nossa experiência: optamos pelo uso de velas aromatizadas, colocadas em vidros numerados e tampados. Para utilizá-los, basta destampá-las, facilitando assim a preservação do material, do próprio aroma de cada uma e os cuidados com a higiene.

Do livro: Nós, Eu e Você – Dinâmicas e Vivências para Noivos - Sonia Biffi e Rosabel De Chiaro – Paulus Editora – 2ª. Edição, 2002   

 

voltar

© Todos direitos reservados - Familia Missionária. design by ideia on